Se eu quiser sorrir eu choro!

21 de setembro de 2018 0 Por Roberto Dovanni

Se eu quiser sorrir eu choro
Minto, mas não imploro pelo seu amor
Ele é gratuito feito de granito, frio e sem calor

Mas me vejo com desejo,
e quase mudo e cego sigo sem pavor
Quero mais que a flor do campo
viver livre e santo e esquecendo a dor

Bebado pela bebida rara
De seus lábios mara, faça-me um favor
Livre-me dessa escravidão
Do amor cativo e da ingratidão